domingo, 27 de outubro de 2013

Suor transformado em Sangue

 
E Jesus estando em agonia, orava mais intensamente.
E aconteceu que o seu suor se tornou como
gotas de sangue caindo sobre a terra.
Lucas 22.44
 
Relato do Dr.Barbet, médico francês, professor-cirurgião, sobre a agonia de Jesus Cristo, reconstituindo as dores sofridas por Ele, em nosso lugar. 
 
        "Sou um cirurgião, e dou aulas há algum tempo. Por treze anos vivi em companhia de cadáveres e durante a minha carreira estudei anatomia a fundo. Posso portanto escrever sem presunção a respeito de morte, como a de Jesus.  
        "Jesus entrou em agonia no Getsemani e seu suor tornou-se como gotas de sangue a escorrer pela terra". O único evangelista que relata o fato é um médico, Lucas. E o faz com a precisão de um clínico. O suar sangue, ou "hematidrose", é um fenômeno  raríssimo. É produzido em condições excepcionais: para provocá-lo é necessário uma fraqueza física, acompanhada de um abatimento moral violento causado por uma profunda emoção, por um grande medo. O terror, o susto, a angústia terrível de sentir-se carregando todos os pecados dos homens devem ter esmagado Jesus. Tal tensão extrema produz o rompimento das finíssimas veias capilares que estão sob as glândulas sudoríparas, o sangue se mistura ao suor e se concentra sobre a pele, e então escorre por todo o corpo até a terra. (  http://www.guia.heu.nom.br/agonia_de_jesus.htm).
 
Eu não consigo ler esse texto bíblico sem me prostrar com rosto em terra e adorar meu Senhor Jesus. Para muitos esse momento pode parecer o auge da fragilidade humana de Jesus, mas não é isso que o Espírito Santo me revela. Muito pelo contrário, esse é o momento em que se manifesta a força e o poder do Rei do Universo, do Filho de Deus feito homem, do meu Senhor e Salvador. Ele sabia de cada momento e dor que iria viver, e ainda assim, levantou-se e seguiu.
 
Só um louco pode pensar em viver por aqui sem Jesus. Todos queremos alguém para nos proteger, nos amar, alguém a quem possamos recorrer em nossos momentos de fraqueza e agonia. E esse alguém existe, te ama, deu a sua vida por você, e o nome Dele é: Jesus Cristo, o Filho do Deus Altíssimo!
 
Que altíssimo preço Jesus pagou por nossas vidas, pela vida de cada ser aqui da terra. Ele sabia o que iria viver a partir daquele momento, e era tal a agonia que sentia que seu suor se transformou em sangue caindo sobre a terra. Cada gota desse suor com sangue derramado sobre a terra era o inicio da nossa libertação e redenção. Cada gota ainda hoje, clama na terra a nosso favor, vivificando e protegendo cada um de nós.
 
Pai Santo, que nos lembremos sempre da obra do Teu Filho Amado por nós, e que ao olharmos para cada ser humano, seja ele quem for, recordemos o alto preço que foi pago por essa vida, que possamos ver em cada criatura o quão preciosa é ela para Ti.
 
Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei!

 
 
 
    


sábado, 26 de outubro de 2013

A Glória de Deus




Já li muitos artigos que falam sobre a Glória de Deus e quase todos são repletos de descrições utópicas, ou seja, de maneira idealista, fantasiosa, quase impossível de se realizar. Mas a Glória de Deus é algo bem tangível, bem visível, e quando se manifesta é uma manifestação impossível de não ser notada, sentida e vivenciada.

Certa vez, há alguns anos atrás, eu tive o privilégio de ver manifestada a Glória de Deus. Era um dia comum, como todos os outros. Mas eu passei o dia todo ouvindo e cantando a música Mostra-me Tua Glória de Alda Célia. De manhã até a noite eu cantei e cantei essa música enquanto cuidava dos meus afazeres. À noite fui para o culto, e nessa época eu era diretora do departamento infantil da igreja, cargo que ocupava há bem pouco tempo. Não havia salas próprias e equipadas para as crianças, estavam sendo feitas, então ficávamos com as crianças no salão da lanchonete, no pátio da igreja e dividíamos os grupos em faixas etárias, com uma irmã para cada grupo. Não era fácil, pois recebíamos em média de 20 a 30 crianças e esse número cada vez aumentava mais.

Era uma sexta feira, culto de libertação, e particularmente nesse dia havia umas 50 crianças e elas estavam indomáveis. As irmãs e eu tentávamos organizar como sempre, dar atividades, mas naquele dia nada estava funcionando. As crianças falavam sem parar, gritavam, alguns meninos começaram a subir sobre as mesas, começou haver discussões...Meu Deus, o que era aquilo? As irmãs olhavam para mim buscando direcionamento e eu não sabia o que fazer, eu parada olhava aquela situação incontrolável e só consegui balbuciar: Senhor mostra-me Tua Glória! Mostra-me Tua Glória Senhor!

De repente... o barulho cessou, as crianças se agruparam e começaram alegremente fazer a atividade que as tias haviam proposto antes e deixado os materiais sobre as mesas. Olhava para elas e estavam sorrindo umas com as outras, e quando falavam, era baixinho. Nós olhávamos uma para outra espantadas, certas que o Senhor enviara anjos para aquele lugar, só podia ser isso. E assim foi até o final do culto, e as crianças foram embora felizes, mostrando aos pais o que tinham feito na escolinha. Era uma paz e alegria em cada rostinho indescritível.

Quando me preparava para ir embora, minha mãe que estivera no culto lá na igreja me disse: "Nossa! Você precisava ver que coisa linda aconteceu hoje no culto! Houve uma hora que o pastor falou para orarmos pelo depto infantil, pelas crianças da igreja e toda a igreja se ajoelhou e começou a orar, ficamos assim orando ajoelhados uma meia hora". Conforme ela ia falando eu ia entendendo tudo que havia acontecido. O Senhor me preparara durante o dia todo,  para essa guerra com o diabo que eu iria enfrentar a noite. Meu clamor chegou até o altar e nosso pastor ouviu a voz do Senhor mandando orar, porque a guerra lá no depto infantil estava sendo travada. Foi algo maravilhoso! 

Foi uma linda Experiência com Deus, inesquecível, que me emociona e fortalece até hoje, pois Deus me mostrou Sua Glória bem de pertinho.









sexta-feira, 18 de outubro de 2013

Desprezo



Um tipo de vingança muito usada nos relacionamentos abalados por pessoas ofendidas é o desprezo. Embora seja uma atitude silenciosa e oculta, o desprezo é algo danoso.
Desprezar uma pessoa é não dar a ela o seu real valor. Essa atitude se aprende, primeiramente, desprezando a Palavra de Deus, depois aos pais, e aos vizinhos, aos pobres e aos amigos.

Provérbios, livro de Deus para nossa vida prática, alerta-nos para a realidade do desprezo. Provérbios mostra também o que e quem você não deve desprezar...Basicamente, temos quatro situações
 
Os insensatos desprezam a sabedoria
Quem anda por caminhos enganosos despreza o Senhor
O que despreza o próximo comete pecado
Não despreze sua mãe quando ela envelhecer.

O livro de Provérbios apresenta-nos, de modo objetivo, qual é a vontade de Deus nestes temas. São atitudes para conosco, com o Senhor, com o próximo e com nossos pais. Portanto, preste atenção, pois toda pessoa é valiosa para Deus. Para evitar a pratica do desprezo, em primeiro lugar, verifique o valor que a Palavra de Deus tem nas suas decisões e escolhas. Recusar a interferência de Deus na vida é desprezá-Lo.

Quanto aos seus pais, ouça o que eles têm lhe ensinado, reflita e coloque em prática os seus conselhos. Se você não fizer isso, estará desprezando-os. Desprezar não é fingir que não vê. Desprezar uma pessoa é matá-la na mente, no conceito e no sentimento. Desprezar é desvalorizar, recusar sua presença e não ouvir. Não faça isso com Deus, com os seus pais e nem com o seu próximo. Quem despreza o próximo tem uma visão distorcida de si mesmo.

Deus é poderoso mas não despreza os homens.
(Jó 36.5)
 

sábado, 12 de outubro de 2013

Disciplina Amorosa

 
 
Uma vez li algo bastante interessante. Max Keller, missionário suíço que trabalha no seu país entre os estrangeiros, contou a seguinte história: Ele estava passeando pelos campos da Espanha quando encontrou um pastor de ovelhas com seu rebanho.
 
Andando um pouco com ele e o rebanho, perguntou-lhe o que fazia quando uma ovelha se desgarrava do bando. Ele respondeu: "Eu vou busca-la". E se ela se desgarrar novamente? Ele disse: "Eu a amarro junto a uma ovelha obediente!". Insistiu perguntando se depois de desamarrada ela se desgarrasse novamente? Ele disse: "Eu a deixo se distanciar bastante, e depois que estiver bem longe, eu mando o cachorro busca-la. Ela volta correndo com as pernas mordidas e não se afasta mais!".
Creio que, semelhantemente Deus age assim conosco quando insistimos viver do jeito que queremos. Às vezes um cristão se distancia tanto de Deus que para retornar, precisará ser apanhado por uma grande crise. Algumas destas crises, como o cachorro do pastor, se apresentam como enfermidades, perdas, fracassos pessoais e até pânicos depressivos. São situações que nos deixam completamente indefesos, com marcas visíveis, revelando a nossa impotência ou desobediência. Crises que, nitidamente, percebemos a disciplina de Deus, como a de um pai que repreende o filho que ama.

"Repreendo e disciplino aqueles que Eu amo. Por isso,
seja diligente e arrependa-se"
(Ap. 3.19)
 
Não é plano de Deus que você, ovelha, viva entre os que escolheram a morte. Deus nos busca, mas algumas vezes manda uma crise nos chamar. Portanto avalie se a sua crise não é um duro, porém amoroso, chamado de Deus.
 
 
 
 
 
 


Estreitar laços

 

Melhor do que ouvir sobre Deus é conhece-Lo pessoalmente. Mas essa experiência com Deus requer comunhão com Deus. Assim como nas relações humanas, é impossível conhecer alguém sem antes ser apresentado para essa pessoa, depois conversar com ela, falar e acima de tudo ouvir o que ela tem para dizer, contar de si mesma, com o passar dos dias e do tempo, a relação de amizade vai se tornando mais estreita, começa-se a frequentar a casa da pessoa, conhece-se seus familiares e assim pouco a pouco os laços de amizade e afeição vão se estreitando. Quando a amizade fica ainda mais profunda participa-se dos momentos alegres e também dos difíceis do amigo.

Não é diferente com Deus, é preciso estreitar laços com nosso Senhor. A única diferença é que Deus já nos conhece de longa data, nós é que nem sempre o conhecemos, ou então conhecemos como conhecia Jó, personagem bíblico...só de ouvir falar.

Conhecemos a história de Jó. De homem rico, próspero e saudável, tornou-se  miserável e doente. A razão disso foi a provação que Deus "permitiu" a Satanás trazer sobre Jó. Experiência difícil! A angustia por desconhecer a causa do sofrimento, os amigos acusando-o de pecados não cometidos, a falta de perspectiva, maltrataram Jó por bom tempo. 

No fim, no silêncio dos seus pensamentos, Jó conhece a grandeza de Deus e Sua misericórdia. Não tinha mais interesse de responder perguntas, nem de questionar a Deus, mas somente adorá-Lo pela Sua majestade, poder e glória. Depois de ouvir uma explicação do próprio Senhor sobre seu poder, Jó responde: "Sei que podes fazer todas as coisas, nenhum dos teus planos pode ser frustrado" (Jó 42.1).

Nenhum dos planos de Deus pode ser frustrado.
 
 
Frustrações são situações emocionais compatíveis com o ser humano, mas não com Deus. Nada do que façamos pegará Deus de surpresa, Ele não é parte da história, mas quem escreve a história. O mundo com seus governos, guerras e injustiças não estão à margem da soberania de Deus. Nem mesmo aqueles que não O conhecem, e pensam ter o poder nas mãos, podem surpreender a Deus.
 
O que devo fazer então? Devo reconhecer a grandiosidade de Deus, sua santidade e poder. Adorá-Lo como Senhor de todas as coisas e dizer como Jó:
 
Meus ouvidos já tinham ouvido a Seu respeito,
mas agora os meus olhos Te viram.
(Jó 42.5)

LIBERDADE - FORÇA E VISÃO

Voar como Águia Todos queremos ser livres, mas como podemos conseguir a tão sonhada liberdade neste mundo cheio de barreiras, dific...