O Centurião Romano

Lucas 7.1-10
PRIMEIRA PARTE

Um centurião romano enviou alguns anciãos judeus ao encontro de Jesus para interceder, em seu nome, pelo seu servo que estava doente, a beira da morte.

7.4 Estes chegando-se a Jesus, com instância Lhe
suplicaram, dizendo: 
Ele é digno de que lhe faças isto,

7.5 porque é amigo de nosso povo, e ele mesmo nos
edificou a sinagoga.

Primeiro vejamos quem era um centurião no tempo de Jesus. Primeiro era alguém que nem mesmo era judeu, era romano. Segundo era um homem que tinha sob seu comando cem soldados romanos, a serviço do império romano. Então, era um homem cheio de autoridade e poder junto ao governo de Roma. Era um homem de guerra e de lutas, posição que exigia austeridade, comando, frieza na hora do combate, mas ... este, era um homem BOM, que não usava sua autoridade para oprimir o povo judeu, mas os respeitava, pois ele mesmo fizera uma sinagoga para os judeus, mas o que o texto diz e que é de suma importância é o seguinte:

"Ele ouvira falar de Jesus".

E por ter ele ouvido falar de Jesus,
foi possível a cura do servo por quem ele intercedeu. 

Esse "ouvir falar de Jesus" é de responsabilidade nossa, responsabilidade daqueles que conhecem a Jesus, daqueles que tiveram sua vida mudada, transformada pelo sangue precioso de Jesus.

É de responsabilidade daqueles a quem um dia Jesus curou, libertou, salvou. A bíblia diz que a todos a quem Jesus operou milagres, saiam falando do que Jesus lhes fizera, contavam e mostravam-se para todos e assim muitos iam ter com Jesus para serem curados. Tanto que o próprio texto diz que Jesus "voltando-se para o povo que o acompanhava" disse:

"Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta"(7.9)

Acordemos todos nós e comecemos a falar de Jesus, que tal vocês mestres da propaganda e marketing criar algo que fale da obra Redentora Daquele que é o Senhor de todo universo, mas que se fez homem e desceu a terra para salvar e buscar cada um de nós, para vivermos com Ele no seu Reino de Amor e Luz?

Que tal fazer conhecido o Redentor e Restaurador de todos nós, o Único capaz de nos libertar do mundo das trevas e nos conduzir para o mundo de paz? O Único que pode:

Fazer-nos repousar em pastos verdejantes,
nos levar para junto das águas de descanso que
refrigera a nossa alma e nos guiar pelo
caminho da justiça por amor do seu nome
"Jesus Cristo".

SEGUNDA PARTE

O centurião romano enviou a Jesus alguns anciãos da comunidade judia, seus amigos. Homens que tinham autoridade e sabedoria no meio do povo. Ele não se considerava digno de se achegar à presença de Jesus e por isso enviou os anciãos até Jesus. 

Reconhecer a  pessoa de Jesus como autoridade na terra é o primeiro passo para que nossa petição chegue até Deus Pai. Jesus é o Filho do Deus Vivo, não é filho de deuses feitos de madeira, de mármore ou de ouro, é o filho do Deus que criou o céu e a terra e tudo que neles há. Todas as coisas foram feitas por intermédio de Jesus que estava com Deus, e sem Jesus nada do que foi feito se fez (João 1.3). O mundo foi feito por intermédio de Jesus Cristo (João 1.10).

Ter consciência disso é o princípio de tudo, porque com essa consciência você se achega a Jesus de joelhos, coração quebrantado e então Ele te estende as mãos amorosas e te coloca de pé diante do mundo. A tua vergonha Ele transforma em dupla honra, dá-lhe vestes novas de dignidade e te faz rei ou rainha.

Este centurião reconhecia a autoridade de Jesus e tinha consciência de que Ele era o Filho de Deus, com poder sobre todo mal, com poder para curar seu servo. Os anciãos enviados para falar com Jesus, disseram sobre ele.

Ele é digno de que lhe faças isso, porque é
amigo de nosso povo e ele mesmo
nos edificou sinagoga.

ENTÃO JESUS FOI COM ELES.

Porém, ele reconhecia de tal maneira a grandeza de Jesus que quando o Mestre estava quase chegando à sua casa, ele envia alguns amigos pessoais até Jesus para dizer:

Senhor não te incomodes, porque não sou digno
de que entres em minha casa.

Por isso mesmo não me julguei digno de ir ter contigo, ...

A primeira observação aqui é que ele chama Jesus de SENHOR, e para um homem que era centurião romano, essa palavra significava supremacia, superioridade daquele a quem ele se dirigia.

Jesus sabia quem era o centurião, sabia as razões porque ele se sentia indigno diante de Sua Presença Santa, mas ainda assim Jesus se dirigia a sua casa para atender-lhe o pedido, porque Jesus conhecia o seu coração. E então ele manda dizer mais a Jesus:

... porém, MANDA com uma palavra e o meu 
rapaz será curado.

Mais uma vez ele demonstra o reconhecimento pela autoridade de Jesus e usa o verba "Manda" e tem mais, reconhece a grandeza dessa autoridade ao dizer:

Manda, COM UMA PALAVRA

Basta uma palavra do Senhor Jesus para que o milagre aconteça. E você reconhece a grandeza do teu Senhor? E o teu Senhor é JESUS CRISTO?

TERCEIRA PARTE

Na sequência desses acontecimentos o centurião diz ao Senhor Jesus:

8 Pois também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz.

Ele mostra que sabe muito sobre mandar e obedecer, sobre Senhor e servo. Ele era senhor de seus soldados e de seus servos, mas era também servo de autoridades acima dele. Ao dizer estas palavras ele demonstra toda capacidade de entendimento que possuía a respeito daquele homem que estava diante dele e que se chamava Jesus Cristo. Ele reconhecia publicamente a grandeza e autoridade do Senhor, e tinha plena convicção que só Ele poderia curar o seu servo, reconhecia que sem o comando de Jesus a morte levaria o servo a quem ele muito queria bem.

Diante de toda essa consciência da pessoa de Jesus Cristo é possível imaginar como foi difícil para este homem se achegar ao Senhor. Tanto que primeiro ele manda os anciãos irem interceder em seu nome pelo seu servo. Depois quando Jesus começa a caminhar em direção à sua casa ele manda servos dele irem falar com Jesus. E o Senhor continua indo a caminho da casa dele, e quando já está a porta, antes que o Senhor entre em sua casa ele sai ao seu encontro e humildemente se coloca desnudo diante do Senhor. Ele não queria se encontrar com Jesus, tentou evitar esse encontro, mas Jesus queria se encontrar com ele.


Evidentemente que Jesus não precisava ir até ele para curar o servo dele, como fora dito por ele mesmo, bastava uma só palavra do Senhor e o servo seria curado, mas Jesus tinha muito mais para dar àquele centurião romano que intercedia tão amorosamente pelo seu servo. Jesus conhece os corações, conhece todos os nossos pensamentos e sentimentos, conhece o mais profundo e escondido que está dentro de nós e nesse porão de nós mesmos só Ele tem autoridade para entrar e com sua Luz nos trazer para fora para andar com Ele de hoje até a eternidade. Era isso que Jesus queria fazer com aquele centurião romano. Você tem alguma dúvida que isso aconteceu? Eu não tenho.

E então o Senhor aproveitou para mais uma vez ensinar aos judeus que estavam ali e disse:

9 Jesus, ouvindo isso, admirou-se dele e, voltando-se para a multidão que o seguia, disse: Eu vos afirmo que nem mesmo em Israel encontrei tamanha fé.   
10 E voltando para casa os que haviam sido enviados, encontraram o servo com saúde. 

Sim, um romano que provavelmente nada conhecia das escrituras sagradas dos judeus, das profecias a respeito de Jesus, o Messias, que era de um povo de hábitos e costumes tão diferente dos judeus, o que era proibido e pecado para um, era permitido e natural para o outro, mas mesmo assim, ele ouviu falar de Jesus, do amor e da compaixão de Jesus pelas criaturas e creu! 

Que o amor de Deus Pai, a Graça que está em Nosso Senhor Jesus Cristo, e a doce comunhão do Espirito Santo esteja com todos nós, hoje e sempre. Amém! 






Nenhum comentário:

Postar um comentário

LIBERDADE - FORÇA E VISÃO

Todos queremos ser livres, mas como podemos conseguir a tão sonhada liberdade neste mundo cheio de barreiras, dificuldades e compromiss...